terça-feira, 28 de abril de 2009

Engulo tanto sapos que meu estômago virou um brejo!

Estou tão irritada que acho que nem jantar vou conseguir!
Afffff que raiva que tenho de mim. Que raiva de não ter corrido atrás dos meus sonhos. Que raiva de ser tão covarde! Tão besta e tão presa a coisas e pessoas que não dereveriam ter a mínina importãncia!
Afff, desculpem o desabafo mas hoje o dia tá punk!
Fui na dança do ventre ( a única parte até agora que prestou) e não aguentei ir na academia fazer aeróbicos. Acho que o stress me desgastou.
Estou com dor de cabeça e enjoô.
Essa maldita crise mundial, veio na pior hora possível, se é que tinha hora boa pra ela vir.
Queria ser uma pessoa mais espiritual, acreditar mais. Levei tanta pancada que hoje já nem sei mais quem sou e o que estou fazendo aqui.
Sei que estou em pé, graças a uma força maior e ao amor que sinto pelos meus filhos.
Não vou desistir!

Um presente depois de tanta choradeira:
Sugando a banha
Ailin Aleixo


Outro dia vi aquele programa da MTV, "I want a famous face". Dois irmãos gêmeos queriam ficar com a cara do Brad Pitt- tudo o que conseguiram foi ficar com a cara do Brad Pitt , só que de um desenhado por uma criança de 3 anos. No outro episódio, o sonho da garota era virar a Pamela Anderson. Veja só: ela queria ter a fuça de alguém que já parece um genérico de fêmea produzido em laboratório. Mas, enfim, foi lá, colocou silicone, injetou gordura na boca pra ficar com aquela expressão eterna de tesão de mulher em capa de filme pornô e saiu esfuziante: finalmente não era mais ela mesma.
Até onde vai chegar essa falta de amor por si próprio, essa negação de si mesmo?
Não existe mais lugar para o imperfeito. Algo nos faz acreditar que se só seremos dignos de atenção, de amor, se tudo em nós for acertado, milimetricamente dimensionado, duro e liso. A mentira das fotos de revista viraram verdade: não importa que aquelas coxas magníficas da fulana e a barriga de tanque do Sicrano foram resultado de horas e horas de correção por computador, o que importa é o que se vê. E isso assusta, porque é meio difícil ficar igual a algo que não existe; a realidade sempre estará aquém do referencial. O bem-estar com o próprio corpo, na próxima lipo.
O real esvaziou-se de importância: não interessa se você tem dinheiro, cultura, sucesso. Interessa, isso sim, se aparenta ter. Cada vez mais gente leiloa a individualidade pela aprovação dos outros e se torna um clone fajuto de seres pré-aprovados pela platéia ou uma versão mentirosamente melhorada de si mesmo: por fora, bela viola; por dentro, pão bolorento. Não vejo problema algum em acertar um nariz torto, levantar peitos caídos. O que me amedronta é essa insanidade que leva a um tipo inédito e estúpido de mutilação, a mutilação pró-fama. O que são dores, anestesia, o período angustiante de recuperação perante a cara de espanto dos amigos, o despeito das amigas, os futuros flashes? Nem para os índios na época do descobrimento o espelho era tão fascinante. Eles trocavam um ouro para ter um pedaço de si refletido. Hoje em dia, troca-se de rosto, de corpo, por elogios, muitas vezes fajutos.
Jamais fomos tão carentes de aceitação. Nunca fomos tão egocêntricos.
Adoraria perder uns quilos. Chegando aos trinta, seria legal também dar uma levantada no que a gravidade insiste em abaixar. Mas não deixo de me sentir (pelo menos não sempre) interessante, sexy, inteligente, digna de receber carinho e dar amor porque a calça, ocasionalmente, não fecha. Não me acho um lixo porque comprovo diariamente a existência de muita mulher muito mais gostosa que eu—odeio seres que fique bem num biquíni, mas não abdico dos meus prazerosos jantares para poder desfilar com uma tanga enfiada. Gosto de ser quem sou e prezo quem tem a mesma relação consigo mesmo— pobres (e chatas) as pessoas que se odeiam por não atenderem as expectativas alheias.
As débeis que vendem até a alma para ter a bocona da Angelina Jolie ou a cintura da Halle Barry deveriam saber que a primeira se divorciou porque o marido transava até com a fruteira, e a segunda vive sozinha porque não controla o próprio ciúme. Ter dimensões e formas idealizadas não livra ninguém da infelicidade—apenas o transforma num infeliz bonito na foto.
Uma coisa é certa: seríamos muito mais felizes se investíssemos em terapia o que gastamos sugando banha e esticando a cara.

11 comentários:

zizi disse...

Olá Gi!
hashashesha...desculpa amiga,mas o título da postagem está hilário....
Querida,tudo vai dar certo!
Confia em Deus, pede a Ele discernimento, Ele vai te dar!
bjo grande, o texto é muito bom!

Paula disse...

Acertou em cheio com esse post...quem dera que fosse sempre assim fácil distinguir o real do aparente!Acho que para ter auto-estima precisa primeiro arrumar sua cabeça,parece que você está no bom caminho.Força.

Nova mulher. disse...

oláaaaaaa giselle,... ki fascínio peguei pelos seus textos ...vc é a real e disbocada verdadeira!!! tem um vazio na tua alma, saiba que sinto isso...e só Deus pode te preencher ...saiba que um grande filófo certa feita disse: que todo temos um vazio dentro de si do tamanho de Jesus e só Ele poderá preencher.. não falo de um Deus utilitário e preconceituoso...falo de um Deus de amor... vc já teve essa relação profunda ocm Ele? amiiiiiiiiga lindo demais esse texto...nossos valores , realmente estão distorcidos...vc tira pelo orkut ve mulheres lindissimas nas fotos , mais pessoalmente hahahah nem de longe parece amesma pessoa.. ilusão de ótica..me parece ki a mágica virou mais comum do que pensavamos ein?

Nuno Medon disse...

Olá! Todos temos momentos baixos, nas nossas vidas, mas tu vais conseguir ultrapassar isso! Tens de conseguir. Não, tu não de cobarde não tens nada. Agiste por Amor, és Romântica, mas cobarde não és. Cabeça para cima Gisele! beijos.

Renata disse...

Vou continuar torcendo pra tudo dar certo. Tem dias fico assim tb. Mas depois passa.

Quanto ao texto eu amei. Concordo em número, gêero e grau. Eu simplesmente não suporto essas pessoas que querem fazer de tudo pra ficar igual aos outro, ihgual a moda. Afff.

Posso copiar o texto pra colocar no meu blog. ah... deixa.
Beijos

Leila em Nova Fase de Renovação disse...

O Titulo do post é muito engraçado!!! Eu as vezes me sinto um brejo total rs..hoje foi assim, problemas no trabalho.
Em relacao a sua vida, tudo pode e vai mudar, foca nessas mudancas...fique calma e centrada.
Em relacao a cronica, amei...eu me amo como eu sou, nao admiro ninguem a ponto de querer ser igual, detesto padroes...sou feliz, coisa rara de se encontrar hoje em dia.
bjs

☆Alana☆ disse...

Oi Gi, td bom?

Pq ficou preocupada? não entendi...
a única coisa q erro é em comer demais ou não comer frutas e verduras...e que já disse varias vezes que vou acertar minha alimentação. não sou mia nem ana como tb já disse...

bjus

Geórgea disse...

Gi, esse texto é teu ?? Tu quem escreveste ou é de alguém ??? Menina, vc é jornalista ? Pedagoga? Cronista, escritora ??? Amei seu texto, viu ?? Muito bom ! Olha vc é um ser superior, não se preocupe c/ esse pessoal tão débil nao, kakakakakaka... Relax, a gente reza por eles...Deixa eles viverem no mundinho deles. Lá em casa, a coisa rola muito diferente disso, viu ?? Tenho banha, marido também, tem chulé, tem conta pra pagar, tem filha que se mexe bem " naquela hora" e vc pensa que ela vai acordar... Sabemos que isso é fantasia, que por mais belos que esses caras sejam, tem os mesmos defeitinhos que nós temos. Então, sorria que a vida tá aí pra ser vivida. Eu levo muita porrada também, mas seguro a onda, ás vezes choro, reclamo, mas tem uma força dentro da gente que nos levanta e empertiga, hehehehehehe... Agora me esclarece uma duvda, tu és gaucha, carioca ?? De onde tu és ?? Sou doidinha, sabe ?? Perco as coisas, informações... Pô tu é flamengo, é ??? Caraca, kakakakakakaka, desobri um defeitim em vc, heheheheheheehe...Brincadeira, viu ?? Bjs de vascaína

sonynhamorena disse...

Oi!
Não pude deixar de me identificar com seu post. Acredite que tambem me sinto assim na maioria das vezes.Sò que aprendi a não deixar isso tudo me tirar do serio1 Vai que vc consegue.
Bjs
Sonia

Nuno disse...

olá!

Roberta... disse...

Nem em terapia viu rsrs, eu particularmente não gastaria pq não acredito em alguém que não me conhece possa me ajudar em alguma coisa!!!
Pq pra ele me ajudar, terei que dizer a verdade, somente a verdade, esquecendo dos meus medos e preconceitos e será que alguém é tão verdadeiro a esse ponto?
Não sei!!!!
O que sei é que o outro só vai te ajudar até o limite que vc propuser, isto é, até aonde relatamos de verdade.
As pessoas não estão preparadas pra ouvir a verdade, então criam-se bareiras, inventam coisas que não existem.
A única pessoa que faço terapia rsrsrs, sem querer as vezes é minha mãe. Essa sim viu me conhece de cabo a rabo e ela nem precisa me ver, só pela voz ela sabe se está tudo bem ou não comigo.

Com isso ha ha pra mim sobraria $$$ né, já que não pagaria terapia e nem gastaria tufos de $$$ pra ficar parecido com ninguém, pq quer coisa melhor do que a individualidade?
Até gêmeos estão querendo de uma forma ou de outra se diferenciarem entre si...
Entãooooooo, rsrs já que me sobraria $$$ sabe o que eu faria de verdade?
Viajaria, conheceria lugares belíssimos, pessoas com histórias diferentes da minha pq sei que o resto viria sozinho, já que estaria mega hiper feliz né!!!

Bjos e bom feriado