segunda-feira, 5 de outubro de 2009

"Nem toda feiticeira é corcunda. Nem toda brasileira é só bunda."

Esse fim de semana foi da pesada.
Me comportei muito mal!!!
Mas quer saber? Estou feliz! Fiz um monte de coisas que estava com vontade de fazer. Me permiti ser feliz e fora a cerveja não extrapolei com comida.
Ontem amanheceu um dia lindo e moro do lado do clube de campo, um lugar lindo o qual eu quase não aproveito por “me achar” gorda e feia.
Quer saber? Enfiei um biquíni, velho por sinal (comprar outro está na minha lista), peguei meu filhote com um amiguinho e fomos pra lá.
Encontrei com uma amiga. Ai começa o drama:
_ Você está mais magra que o ano passado.
_ Você deveria não tomar cerveja. Blá, blá, blá
Daí sentei com o marido dela e ficamos papeando no sol e tomando CERVEJA! E ele me disse educadamente que eu deveria entrar numa academia.
Quer saber? Estou de saco cheio do mundo querer me emagrecer! Eu sou mais que a P$%%#¨ de um corpo. Não sou magra, estou cheia de celulite. Minha cirurgia plástica nos seios ficou um lixo. Mas e as minhas qualidades? Tudo se resume ao meu exterior?
E o tanto que leio, o tanto que procuro ser gentil, o quanto sou sexy mesmo sendo “gorda”!
Estou de saco cheio desses malditos padrões! Por isso evito ir ao clube por que me deixava abater por esses comentários.
Se eu quero emagrecer? Claro que quero. Mas não quero que me emagreçam.
Eu não fico concertando ninguém, procuro gostar das pessoas como elas são. Respeito cada um da maneira que é. E não sei por que permito que venham encher o raio do meu saco num dia lindo que eu criei coragem e coloquei um bendito biquíni.
Outro dia fui a uma festa e uma outra amiga veio me dizer que eu “precisava” emagrecer que tava com braços enormes. Acabou comigo, me deu vontade de sair da casa dele voando e vir pra casa. Nunca mais consegui usar blusa cavada.
Eu tenho sérios problemas com auto estima. Mas acho que passou da hora de eu permitir que os outros controlem minha vida.
Sei que muitas pessoas não fazem por mal, acham que estão te ajudando. Mas confesso que não me ajuda em nada me colocar pra baixo, eu dou conta de fazer esse trabalho sozinha!!!
Vou voltar a academia por que gosto, por que me faz bem, me acalma e SIM QUERO EMAGRECER. Mas tenho que controlar minhas expectativas, aceitar meu biotipo e melhorar o que der. Eu já adoeci uma vez por conta de tentar emagrecer e não vou cair nessa cilada de novo!
Pra quem não me conhece eu tive um cãncer na tireóide há uns três anos. Acredito eu que as causas foram muita tristeza e remédios receitados por um MÉDICO, supostamente responsável que me causaram esse mal. Batalha que venci.
Tirei toda a glãndula e hoje tomo hormônio artificial todos os dias cedo, faço exame de 3 em 3 meses.
Não quero ficar mais pirada do que já sou.
A hora da comida virou um tormento na minha vida. Como estressada. Preocupada.
Desculpem o desabafo mas, acho que muitas de vocês devem passar por isso e pelo amor de Deus se alguém magro ler isso por favor tenha o bom senso de saber se a pessoa quer saber sua opinião em respeito a sua aparência!
Com certeza dar conselhor num clube no domingão, realmente não é uma boa!
Sei que no fundo querem o nosso bem, mas pensem antes de falar!
Palavras podem feria mais que um tiro e tem feridas causadas por elas que não cicatrizam nunca!

Deixo com vocês um texto da maravilhosa Rita Lee:

"Eu tinha 13 anos, em Fortaleza, quando ouvi gritos de pavor. Vinham da vizinhança, da casa de Bete, mocinha linda, que usava tranças. Levei apenas uma hora para saber o motivo. Bete fora acusada de não ser mais virgem e os irmãos a subjugavam em cima de sua estreita cama de solteira, para que o médico da família lhe enfiasse a mão enluvada entre as pernas e decretasse se tinha ou não o selo da honra. Como o lacre continuava lá, os pais respiraram, mas a Bete nunca mais foi à janela, nunca mais dançou nos bailes e acabou fugindo para o Piauí, ninguém sabe como, nem com quem.

Eu tinha apenas 14 anos, quando Maria Lúcia tentou escapar, saltando o muro alto do quintal da sua casa para se encontrar com o namorado. Agarrada pelos cabelos e dominada, não conseguiu passar no exame ginecológico. O laudo médico registrou vestígios himenais dilacerados, e os pais internaram a pecadora no reformatório Bom Pastor, para se esquecer do mundo. Realmente se esqueceu, porque acabou morrendo tuberculosa.

Estes episódios marcaram para sempre a minha consciência e me fizeram perguntar que poder é esse que a família e os homens têm sobre o corpo das mulheres? Poder que, ontem, era para mutilar, amordaçar, silenciar.

E que, Hoje, é para manipular, moldar, escravizar aos estereótipos. Todos vemos, na televisão, mulheres torturadas por seguidas cirurgias plásticas.

Transformaram seus seios em alegorias ridículas para entrar na moda da peitaria robusta das norte americanas. Entupiram as nádegas de silicone para se tornarem rebolativas e sensuais, garantindo bom sucesso nas passarelas do samba.

Substituíram os narizes, desviaram costas, mudaram o traçado do dorso para se adaptarem à moda do momento e ficarem irresistíveis diante dos homens.

E, com isso,Barbies de fancaria, provocaram em muitas outras mulheres as baixinhas, as gordas, as de óculos - um sentimento de perda de auto-estima.

Isso exatamente no momento em que a maioria de estudantes universitários (56%) é composto de moças. Em que mulheres se afirmam na magistratura, na pesquisa científica, na política, no jornalismo. E, no momento em que as pioneiras do feminismo passam a defender a teoria de que é preciso feminilizar o mundo e torná-lo mais distante da barbárie mercantilista e mais próximo do humanismo.

Por mim, acho que só as mulheres podem desarmar a sociedade. Até porque elas são desarmadas pela própria natureza. Nascem sem pênis, sem o poder fálico da penetração e do estupro, tão bem representado por pistolas, revólveres, flechas, espadas e punhais. Ninguém diz, de uma mulher, que ela é de espadas. Ninguém lhe dá, na primeira infância, um fuzil de plástico, como fazem com os meninos, para fortalecer sua virilidade e violência.

As mulheres detestam o sangue, até mesmo porque têm que derramá-lo na menstruação ou no parto. Odeiam as guerras, os exércitos regulares ou as gangues urbanas, porque lhes tiram os filhos de sua convivência e os colocam na marginalidade, na insegurança e na violência.

É preciso voltar os olhos para a população feminina como a grande articuladora da paz. E para começar, queremos pregar o respeito ao corpo da mulher.

 Respeito às suas pernas que têm varizes porque carregam latas d'água e trouxas de roupa. Respeito aos seus seios que perderam a firmeza porque amamentaram seus filhos ao longo dos anos. Respeito ao seu dorso que engrossou, porque elas carregam o país nas costas.

São as mulheres que irão impor um adeus às armas, quando forem ouvidas e valorizadas e puderem fazer prevalecer a ternura de suas mentes e a doçura de seus corações.

"Nem toda feiticeira é corcunda. Nem toda brasileira é só bunda." Rita Lee"



glitters

10 comentários:

Bárbara disse...

Amor, vc arrebentou no texto do blog!
Eu sei o quanto é ruim as pessoas falarem coisas que nós sabemos, ou não sabemos, mas não queremos ouvir.
Vai de nós no julgar como eles pensam de nós. Vai de nós querer levar adiante a persistencia de ser melhor do que somos hoje.
E eu só torço por ti, pq quero que seja feliz, que possa se sentir bem no meio das pessoas.
Eu tbm tenho traumas, não suporto alguem chamar o outro de gordinho. Fofinho então.. eu mando pra PQP.

Faça o que for, seja vc.
Se quer mudar, mude pra melhor. Os outros são só os outros. Vc é capaz de conquistar o que quiser.
É só querer, e ir atrás.
Pode ser dificil, mas aí é que entramos nós. As blogueiras 24hs. rsrsrs

Te adoro, e te quero bem sempre!

Luciana Kotaka disse...

Bem forte essas histórias. Acredito que primeiro devemos nos amar, fazer as pazes com nosso corpo, nossa herança. para sssim buscar mudanças, cada um a seu tempo.Na clinica cada paciente tem um tempo, e isso determina o sucesso de uma RA. Beijocas

Graci disse...

Ola

Nossa menina tenha calma.

Tudo isso é muito revoltante mesmo.
Mas porque existem mulheres que não se dão o devido valor.

Tenho uma raiva de mulher melancia, jaca, kibe, aff
não por que são lindas e tal, mas porque nao se valorizam.

Olha eu também sofro com pessoas querendo que eu emagreça.
por isso nao conto pra ninguem

so pro marido e filho e olhe lá

até criei outro orkut e tudo.

bom te add no msn, so falta voce me aceitar ai podemos conversar mais...

beijocas e muito obrigada pela força.

Fafá disse...

Oi Gisele, adorei seu blog e sua forma de escrever, fala tudo o q sente, parece com o meu jeito, q texto maravilhoso esse de rita lee, amo essa música na voz de maria rita, deveriamos ter mais mulheres ao comando, a realidade seria bem diferente, beijo.

Gezinha disse...

Acredito que se amar a gente em primeiro lugar, não ligando aos padroes perfeitos,esses padrões é tudo artificial, sejamos mulheres reais, com defeitos, qualidades e afins...
Força e Fé na luta, um lindo dia.
Abraços
Gezinha

Geórgea disse...

Gi, o pai das minhas primas que era do interior, uma vez fez isso com uma delas. Foi tão aviltante, humilhante. Ele levou a minha prima pro IML depois pra delegacia, olha não sei não... Acho que isso é alguma espécie de tara, de dominação, não sei.... Ainda bem minha prima hoje é super bem casada, tá ótima, e nunca mais vai passar por traumas tão mediocres... Ainda bem que hoje os pais noredstinos estão com a mente mais aberta, é claro que resistem os ignorantes, infelizmente. Ainda bem a net veio pra informar, ensinar e libertar... Beijocas

Engenheira Dietética disse...

o fds foi jacado? entaum que a semana seja light, o importante eh sempre recomeçar!
beijos

maria/andrea disse...

Oi Gi!!!
Post bacana. Adorei.
Vc expôs algo que te incomoda e botar isso pra fora é muito bom.
Meu post hoje tá quase no mesmo estilo.
Também odiava quando as pessoas queriam "me emagrecer".
Eu sabia que era gorda, mas o problema era só meu.
Também não fico tentando emagrecer ninguém a minha volta e olha que tem gente gorda por aqui viu...
Cada um sabe onde lhe aperta o calo e cada um é responsável pelo que faz. Seja bom ou ruim.
Miga, eu não consigo beber cerveja.
Aliás, nenhuma bebida, exceto e muito raramente um vinho (doce).
Vejo minhas cunhadas bebendo e bebem muito.
Não consigo.
Acho que vc não precisa parar, até pq vc gosta. Mas experimenta diminuir. Se toma duas, tome uma. Tendeu?
Olha, não é pra te assustar, mas as minhas cunhadas tem barrigas imensas e elas mesmas falam que é a breja...
É isso flor. Faça por vc o que vc quer e não o que os outros querem.
Assim a vida fica mais gostosa.
Beijos e ótima semana.

Leila... disse...

Adorei seu texto, adorei o texto da Rita.
Amiga, se imponhas, as pessoas falamoque querem até uvirem oque nao querem.
Vc precisa emagrecer, quer emagrecer, mas nao por ningem e sim por vc.
bjs

**Vivi** disse...

Oi Gi, é um porre mesmo outras pessoas querendo controlar nossa vida, nosso peso!
O pior é que qualidades ninguém elogia não... mas os pontos fracos fazem questão de ressaltar!
Para evitar que isso te deprima tanto só com uma boa dose de autoestima mesmo!! Então vamos lá, força e coragem para olhar bem pra dentro de você mesma e apreciar TUDO que você tem de bom e lindo!! Beijos... ahhh tem selinho pra você lá no blog!