terça-feira, 31 de março de 2009

Em uma semana: 7 dias e nada!

Estou bem chateada.

Puxa vida uma semana fazendo tudo certinho, mudei a alimentação. Tudo nos conformes.

Caminhando todo dia de manhã. Duas aulas de dança do ventre por semana, sem contar as caminhadas a tarde vez ou outra.

A balança não apontou nada, nenhuma grama perdida.

Espero que seja o hormônio que está desrregulado que esteja atrapalhando, caso contrário da vontade de chutar tudo pro alto.

Tenho um retorno marcado pro dia 13 no endócrino e quero me pesar na balança dele pq pesei na fármacia e elas são meias desreguladas e espero que tenha algum resultado!
Mas não vou desistir! Não vou mesmo!

Estou tomando um medicação chamada metformina pra ajudar, tudo devidamente receitado pelo endócrinologista. Como apresento vários fatores ele achou que poderia me ajudar na eliminação do excesso de peso.


Uma medicação tradicional contra o diabetes, a metformina, tem sido usada com freqüência por quem precisa perder peso. Mas, os especialistas alertam: a substância só tem esse efeito nos portadores da doença ou para quem tem outros sintomas específicos da obesidade

POR FABIANA GONÇALVES



Em conversas com pessoas que fazem tratamento antiobesidade, até parece que há no mercado um novo e milagroso remédio para combater o problema, tamanha é a procura pela metformina, para atacar o mal. No entanto, de novidade esse medicamento não tem nada. Ao contrário, ele é usado há mais de 30 anos contra o diabetes tipo 2. Vendido sob nomes comerciais como Glifage, Dimefor e Glucoformin, a substância promove tanto o emagrecimento quanto a redução da gordura visceral – aquela que se encontra ao redor do abdômen e que, como mostram pesquisas médicas, faz um mal imenso à saúde por multiplicar os riscos de desenvolver doenças cardíacas. “Porém, é arriscado prescrever a metformina apenas como droga para eliminar peso, porque ela não é recomendada para esse fim”, alerta o endocrinologista do Hospital das Clínicas (SP) e presidente da Abeso (Associação para o Estudo da Obesidade), Alfredo Halpern. De acordo com o especialista, ainda que seus efeitos colaterais não sejam severos (diarréia é o mais freqüente, resultado idêntico ao do emagrecedor Xenical), falta atestar sua segurança em pacientes que não tenham diabetes.

Diabetes X excesso de peso

A adoção da metformina nos programas de emagrecimento é reflexo dos últimos estudos sobre a relação entre diabetes e excesso de peso. “Descobriu- se que o hormônio insulina é um dos fatores mais importantes para o desenvolvimento da obesidade”, afirma Halpern. A insulina é responsável por retirar o açúcar da circulação sangüínea e jogá-lo para dentro das células, onde é transformado em energia. “Nos portadores de diabetes tipo 2, porém, as células não respondem à ação do hormônio, o que exige que o pâncreas produza grandes quantidades dele. A obesidade surge como subproduto desse processo, já que, em demasia, a insulina faz com que o organismo produza mais gordura”, explica a endocrinologista Anete Hannud Abdo, do Prato (Projeto de Atendimento ao Obeso), do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, (SP). Segundo a médica, a metformina age aumentando a sensibilidade das células a esse hormônio. Ou seja, evita seu acúmulo no sangue.


Benefícios da substância para os portadores de diabetes

● Diminui o apetite. “De um modo geral, pacientes com diabetes tipo 2, necessitam eliminar os excessos e fazer a manutenção do peso para sempre”, informa Alfredo Halpern.
● Reduz a gordura abdominal – em um estudo australiano, a diminuição da circunferência da cintura foi de cerca de 3 centímetros. “Em média, a perda de peso corporal fica entre 5% e 7%, semelhante à proporcionada pelo Xenical, Plenty e Reductil, remédios fabricados para combater a obesidade”, afirma o endocrinologista.


Baixo emagrecimento

Para Alfredo Halpern, a perda de peso, proporcionada pela substância varia de 5% a 7% do peso inicial, e a redução da circunferência abdominal pode chegar a apenas 3 centímetros. “O que é pouquíssimo para quem tem muitos quilos a eliminar”, garante. A metformina só funciona, contudo, nos casos de pacientes gordos com características de Síndrome Metabólica: diabetes, hipertensão, alteração de gordura no sangue (triglicérides alto), HDL colesterol baixo (o bom colesterol), circunferência abdominal acima de 80. “Se o paciente tiver três dessas cinco características citadas, aí, sim, o remédio terá eficácia”, ressalta Anete.

“Alerta sério: a metformina elimina apenas 5% a 7% do peso inicial do paciente”
ALFREDO HALPERN, ENDOCRINOLOGISTA

“Ainda assim, sempre acompanhada de uma dieta pobre em alimentos de alto índice glicêmico, como os carboidratos integrais. Isso porque, depois de ingeridos, eles são transformados em glicose – e, em resposta ao aumento da presença desse açúcar, o organismo produz mais insulina, o que pode neutralizar o efeito do medicamento”, alerta Alfredo Halpern.

Dieta e remédio, porém, não são suficientes. “É preciso malhar com regularidade, para que os músculos queimem o açúcar do organismo”, diz Anete. Logo, a metformina por si só não faz milagre, mesmo nos casos de diabetes.




3 comentários:

Leila em Nova Fase de Renovação disse...

Oque é isso ? Jogar pro alto pq ? Ta doida é ?
Menina, volta pro prumo, se ajuste!!!
Eu estou ha quase 1 mes sem emagrecer uma grama, e malho todos os dias, como 1000 calorias.
É assim mesmo, seu corpo esta sentindo a diferença, tenha pacienca, calma.
Pensa oq nao teria engordado, se nao estivesse tao ativa ?
olha, estou aqui de olho pra vc nao pisar na bola hem!!!
Obrigado pela visita, e animo, muito animo...força
bjs

Gezinha® disse...

Desistir jamais!!!!!!!!!
Continuemos firmes na luta.
As vezes metabolismo ñ vai no mesmo embalo que a gente...rs
Adorei sua visita ao meu blog.
Volte sempre!!
Meus filhos tem 3 anos e 9 meses e 1 ano e 5 meses.
abraços
Gezinha
http://ideiasdicas.blogspot.com/

maria/andrea disse...

Oi leoa!!!
Gi, não estressa. É normal não emagrecer nadinha, mesmo algum tempo depois de começar a fazer a dieta e exercicios. Pq antes, vc tava acostumada a comer mais, então seu organismo ainda está se readaptando. Relaxa que logo vc verá os resultados. Desistir, não pooode!

Então... obrigada pelo comentário no meu post. Finalmente alguém me entende, rsrs.
É mesmo pra ficar puta com uma coisa dessas né? Até pq ela é avó do menino!
Mas, ela sempre teve as preferências dela com outros netos e sempre resaltou que nunca gostou muito do meu filho.
Sei lá, em casa e em qualquer lugar, tudo o que ouço dele é que ele é um amor de menino, educado, inteligente... acho que o problema é mesmo com ela.
Acredito sim que isso vai amadurecer bastante meu filho, e também, ele irá crescer e tornar-se bem responsável. Na idade dele eu já ia pra todo lado de busão, rsrs. Mas, os tempos mudaram e hoje temos medo.
Achamos que eles são eternos bebezinhos, rsrs, e não gostamos da idéia de deixá-los livres. Agora, é preciso e torço para que ele cresça assim e não fique com traumas. Afinal amiga, ser rejeitado pela própria avó... fala sério né??
Minha sorte é que ele tem a cabeça boa, e converso muito com ele. Sabe do infinito amor que sinto e acredito que posso suprir a falta.
Fiquei feliz pelo comentário. Me animou bastante.
E pode deixar, isso não me abalará, hehe.
Beijos e força aí. Desistir não, tá?