segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Eu sou uma sobrevivente!


Hoje olhei pra trás. Mas olhei de uma forma diferente que tenho olhado.
Olhei não pra ver quantos erros comeiti ou quantos fracassos ou coisas que deixei de fazer. Hoje olhei e vi o quanto sou uma pessoa vitoriosa.
Aos 3 meses de idade minha mãe me entregou pra minha vó me criar a mando (isso mesmo, ele obrigou que ambas aceitasse essa decisão, era isso ou orfanato) do meu avô. Fui criada sem saber de nada até os 8 anos. Vive num abiente violento. Meu avô era alcoolatra e minha vó uma típica mulher se seu tempo. Ela era uma mulher excepcional, analfabeta porém amava o conhecimento e nos dizia o tempo todo que nós devíamos sempre estudar pra não passar pelo que ela passava.
Meu avô não era um monstro, ao menos pra mim. Apesar de tudo eu o amava e o admirava.
Aos 14 minha avó morreu e eu fiquei numa casa que mais se parecia um hospicio. Um tio e um avô alcoolatra, duas tias irresponsaveis, uma prima problemática de 8 anos pra ajudar a criar.
Como me sai? Tirei tudo de letra, virei a lider da família, qualquer problema era eu quem resolvia. Quando meu avô teve um derrame foi eu quem ficou com ele 20 dias num hospital em Juiz de Fora e eu tinha somente 16 anos. Nessa mesma fase eu já estava com meu atual marido. Ele no ínicio era um doce, aos poucos se transformou. Me agredia fisica e verbalmente. Dizia que ele era a "única" pessoa no mundo que me amaria e o pior, eu acreditava nisso...
Com o tempo fui percebendo minha força e meu brilho. Terminei o 2º grau, fiz vários vestibulares e passei. Viajei muito. Ajudei a criar meus primos, a cuidar do meu avô que nunca mais foi o mesmo passando várias temporadas em hospitais já que o resto da família "não tinha estrutura pra hospitais". Ajudei minha tia e a vi desaparecer diante da AIDS, uma linda mulher da qual no fim só se via uma sombra.
Criei e crio um primo, uma criança que já passou por coisas que muitos adultos nem sonham que possam acontecer e hoje acho que é um menino sáudavel e feliz.
Passei por uma gravidez complicada, não planejada e quando todos duvidaram da minha capacidade estão ai os resultados. Meu filho é uma criança maravilhosa!
Trai e fui traida, várias vezes, coisas que não me orgulho.
Fui vendo minha louca mas amada família ir se desmanchando, perdendo aqueles que me eram caros.
Tive um cãncer, operei e me tratei sem ajuda de ninguém. Ninguém, nem marido, nem parentes vieram pra me apoiar ou qualquer coisa do tipo. Tive uma deprressão tão grande que não sei qual dos dois foi pior. Mas sobrevivi.
Não sou uma pessoa amarga. Muito pelo contrário sou bem humorada, debochada, falo alto, faço amizades com a mesma facilidade que se compra um chicletes. Choro atoa. E ainda acredito nas pessoas.
Não perdi minha capacidade de amar nem de acreditar nas pessoas.
Acho que sou uma vencedora.
Li ontem que ninguém é lembrado por quantos kilos perdeu ou deixou de perder e sim pelas suas realizações. Eu quero ser lembrada pelo minha capacidade de amar! De me doar!
Tive bastante tempo pra pensar hoje, estou muito doente, dor de ouvido, garganta, febre...
Mas estou bem, apesar de tudo há dias não me sinto tão bem.
Comecei a dieta das notas. Vou tentar ir no supermercado comprar umas frutas e verduras.
Estou decidida a começar a fazer um curso de líguas.
EU OPTEI POR MIM!! NINGUÉM MAIS VAI DECIDIR COMO EU DEVO ME SENTIR!
SÓ POR HOJE EU SOU A PESSOA MAIS IMPORTANTE DO MEU UNIVERSO!

AMO MUITO TUDO ISSO!!!!

4 comentários:

ELI CRISTINI disse...

menina, sem palavras...
as vezes a gente é tão ingrata,pensa que tem uma vida com problemas mas quanto nos deparamos com uma história como a sua é que percebemos o quão ingratos somos.

realmente vc é uma vitoriosa,

parabéns pela sua determinação.

Paloma disse...

Amiga vc é guerreira e quero do fundo do meu coração mostrar minha adimiração por vc, desejo que vc alcance sua felicidade plena tão almejada e que Deus ilumine e continue iluminando mais ainda os seus caminhos, pois acredite vc é muito especial para ele!

Bjos no seu coração e tenha uma ótima semana!!

Paloma

Adriana disse...

Mell, obrigada por compartilhar,sei o quanto é dificil falar sobre o que se vivenciou e falar de forma tão clara, cheia de vida. eu só posso agradecer ao Universo, por te conhecer. Me lembrastes de trechos da musica metade :Que a música que eu ouço ao longe seja linda, ainda que tristeza.

Que as palavras que eu falo não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor,
Apenas respeitadas como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos.

Gisele, Eu te reverencio e te agradeço pelo que você é.
beijo,
Adriana.

Caixinha Slim da Ci disse...

nossa.. depois de tudo isso.. só posso te dizer

VOCÊ É UMA VENCEDORA!!

não deixe que nada e ninguém tire o seu brilho, eu torço muito por vc! Do fundo do meu coração..